Morte, vida, Oriente e México

Pra quem ainda duvida de que somos todos parte da mesma coisa, do mesmo conhecimento, da mesma fonte de vida, hoje tive uma experiência bacana.

Coisas como “viva o momento presente, o agora, foque-se no instante atual” são sabedorias tipicamente orientais. Os budistas buscam acima de tudo estarem presentes no momento atual da vida – é só ele que importa, é só ele que se vive. Nos prendermos no passado ou no futuro não nos levam à lugar algum.

Pois eis que, diretamente do México, e mais precisamente da cultura pre-hispânica, leio na janela do Messenger em conversa com uma amiga a seguinte frase:

“(nosotros mexicanos) sabemos que sólo se vive un momento
y que la muerte es seguir viviendo
en otro lugar”

Sensacional! Em nossa conversa sobre como cada país celebra o dia de Finados, minha amiga revelou que os conceitos que os mexicanos têm sobre presente, passado, futuro, morte e vida são os mesmos que os povos que viviam na América antes dos colonizadores chegarem possuíam  – e que por sua vez são iguais aos dos orientais! Só existe o agora, o agora é vida. Fora do agora, só há a morte, não há vida!

O mais interessante é que esse tipo de conhecimento deve ter se desenvolvido com muitos anos de experiência, de espiritualidade e de vida. Os orientais são e os povos pré-hispânicos foram civilizações de milênios de idade, que adquiriram conhecimentos notáveis e fórmulas geniais de lidar com a vida – e com a morte também. Quando se compara com os conhecimentos e verdades IMPOSTOS por nações em lugares colonizados (como a América, por exemplo), o que temos? Terceiro mundo, pobreza e violência.

Infelizmente, já sabemos como os colonizadores responderam à sabedoria existente na América de 500 anos atrás. Espero que o povo mexicano nunca deixe de viver o momento atual único, como fizeram seus ancestrais. E que todos nós possamos reconhecer que só há existência no momento atual.

Anúncios

1 Comentário »

  1. […] que me bateu a vontade de ler depois de dois fatos que aconteceram recentemente comigo: esta conversa e quase uma semana de silêncio causada por uma laringite lazarenta que me tirou a voz, mas que no […]

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: