Guia de brigas para pacifistas

Envolvido em uma treta ou tumulto generalizado, ou estando diante do conflito e desejando fazer algo (como prega o bearing witness), o pacifista deve procurar amenizar ou apartar a situação, sem tornar-se agressor ou agredido. Este guia pode ajudar na resolução de confrontos ou ao menos evitar que o pacifista desavisado torne-se boi-de-piranha dos tumultuadores.

1 – Estude o cenário – Normalmente, é fácil identificar os agressores. Porém, as vítimas, para defenderem-se ou num momento de descontrole, podem virar agressores. Procure observar os envolvidos com cautela. (Comitivas de rodeio normalmente não se bicam).

2 – O que está rolando? – Quem começou a briga? Qual foi o motivo? Mexeram com a mulher de alguém, os envolvidos se insultaram? Está todo mundo bêbado? É interessante saber quais foram os fatos que deram início ao tumulto, para tentar amenizar os futuros acontecimentos. Em festas promovidas em ano eleitoral pela prefeitura da cidade, regadas a álcool e rivalidades, é comum que haja conflitos. (Você já se indignou ao pensar que o dinheiro público está sendo usado pra negada sair na mão?)

3 – Não tome partido – Não importa quem começou, não importa quem revidou – se há violência, estão TODOS errados. Para apartar uma briga, é necessário ser neutro. Evitar tomar partido é evitar a violência.

4 – Segurança – O arranca-rabo está repleto de armas? Neguinho está girando espadas com as mãos? Avalie os riscos antes de botar a cara pra bater. Chamar as autoridades também é uma forma de, digamos, promover a segurança.

5 – Entre no palco! – Querer que a briga pare ficando do lado de fora dela não funciona. Gritar, berrar ou urrar “PAREM!” é inútil – os envolvidos normalmente só têm olhos e ouvidos para o calor do momento. A intervenção é necessária para cessar um conflito imediato.

6 – Não torne-se um agressor – Ao separar os envolvidos, é necessário tomar medidas para evitar tornar-se, também, um agressor. Qualquer interpretação de que você é mais um dos brigões pode levar ao fracasso. Movimentos brutos, mãos muitos levantadas e esquivas muito ligeiras podem dar a entender que você está na briga. O ideal é estar na posição de defensiva – mas sem parecer que você está no tumulto.

7 – Aparte! – Separe os quebra-paus mais graves antes. Intervenha, ponha-se na frente. Segure pernas, braços e pés.

8 – Remova os inocentes – Crianças, senhoras de idade e perdidos da ocasião devem ser levados para longe da baderna. Não esqueça de avisá-los para manterem-se longe e buscarem ajuda.

9 – Puliça! – Quando as autoridades chegarem, não resista se for detido. A resistência levará as autoridades a crerem que você faz parte da confusão. Seja detido se for necessário, vá até a delegacia e faça um boletim de ocorrência.

10 – Denuncie – Se você identificar os culpados da treta, ou ao menos indicar alguns dos integrantes envolvidos, poderá evitar novas ocasiões de briga. Claro, isso se a polícia realmente prender os culpados (e se estes não forem pessoas influentes da sociedade – ou parentes deles).

Esteja pronto para arranhões, socos e pontapés, também. É praticamente impossível apartar uma briga sem levar alguma. Mas, seja otimista! A enfermeira do hospital pode ser uma bela duma gostosa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: